Caso Padre Zé: MP denuncia desvios milionários de verba de projetos sociais para compra e aluguel de carro

3 dez 2023 - Paraíba

Advogado de ex-funcionárias do Padre Zé contesta acusações de suposto desvio de verbas da instituição — Foto: Reprodução/Redes sociais

O Ministério Público da Paraíba anunciou a apresentação de duas denúncias relacionadas à Operação Indignus, uma investigação que desvelou desvios e fraudes na gestão do Hospital Padre Zé. Uma das denúncias destaca o desvio de verba destinada a projetos sociais para a compra e aluguel de um veículo Spin, adquirido pelo Instituto Padre Zé e registrado em nome de Jannyne Dantas.

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) revela que o desvio de fundos destinados à assistência a pessoas em situação de rua e venezuelanos chega a R$ 193,4 mil. As denúncias foram protocoladas na 4ª Vara Criminal de João Pessoa, uma delas mantida em segredo de justiça, ainda não recebida, e a segunda recebida com sigilo judicial.

Na ação, são citados o ex-diretor e padre Egídio de Carvalho Neto, as ex-diretoras Amanda Duarte (ex-tesoureira) e Jannyne Dantas. A denúncia destaca fraudes na compra de um veículo Spin por R$ 122 mil no início de 2022, adquirido pelo Instituto Padre Zé e em nome de Jannyne Dantas.

O veículo teria sido adquirido e, posteriormente, alugado de forma fraudulenta por Jannyne Dantas ao Instituto São José, representado por Egídio de Carvalho Neto. O Gaeco salienta que o carro era utilizado para fins pessoais pela ex-diretora.

As investigações revelam que o contrato de aluguel foi mantido mesmo após o término previsto de 12 meses, gerando o pagamento de 20 parcelas, totalizando R$ 71 mil a Jannyne Dantas. Há indícios de que a transação foi iniciada antes da própria compra do automóvel.

Os recursos desviados, provenientes de convênios, deveriam atender pessoas em situação de rua e venezuelanos em João Pessoa e Campina Grande. O MP calcula que o montante desviado foi de R$ 193,4 mil, com registros detalhados das transações e anotações que corroboram as acusações.

Egídio de Carvalho, Amanda Duarte e Jannyne Dantas foram denunciados por peculato e falsidade ideológica, crimes graves perante a legislação brasileira.

Os investigados e suas defesas negam as acusações e afirmam que vão comprovar a inocência no decorrer do processo. O advogado de Carvalho alega buscar a liberdade do religioso para que ele possa se defender. Já os defensores de Duarte e Dantas rejeitam a denúncia e estão confiantes na inocência de suas clientes, ressaltando o respeito ao contraditório e à ampla defesa.

O Povo PB

Acompanhe as notícias do POVOPB pelas redes sociais: Instagram e Twitter.

Verified by ExactMetrics