Preso por esfaquear ex-mulher no olho não queria que ela enxergasse outros homens, diz delegada

7 ago 2023 - Paraíba

Central de Polícia Civil em João Pessoa — Foto: Edcarlos Santana

Um homem de 30 anos foi preso suspeito de tentativa de feminicídio ao esfaquear a ex-mulher com mais de 20 golpes no rosto. O crime aconteceu na quinta-feira (3), no bairro de Água Fria, em João Pessoa, e a prisão aconteceu nesta segunda-feira (7), quando o suspeito foi prestar esclarecimentos na delegacia. A prisão aconteceu na mesma data em que a Lei Maria da Penha – que tornou crime a violência doméstica e familiar contra a mulher, completou 17 anos.

Segundo a delegada Amin Oliveira, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), a vítima procurou a delegacia no sábado (5), após receber alta do hospital onde estava sendo atendida. “Ela relatou tudo o que estava vivenciando e que tinha acabado de sair do hospital com vários golpes de faca que o ex-companheiro fez, por questões de ciúme e por estar inconformado com a separação”, disse a delegada.

Conforme a vítima,, com 23 anos, o histórico de violência doméstica já acontecia há pelo menos cinco anos. Recentemente o casal havia se separado, e desde 2020, havia uma medida protetiva contra o suspeito. Segundo a delegada, a jovem relatou à polícia que o homem a esfaqueou no rosto, pois não queria que ela visse nenhum outro homem.

“No sábado, ouvimos a vítima, uma amiga dela e vizinhos, que a socorreram. No mesmo dia, fizemos um pedido de prisão preventiva, atendido pela Justiça. Fomos até a casa do suspeito, mas não o encontramos”, relatou Amin Oliveira.

Ainda conforme a delegada, ao chegar na casa do suspeito, a polícia encontrou o pai dele, que foi uma das testemunhas do crime, e que vai responder por omissão de socorro. “Ele estava presente e não prestou socorro, viu ela sofrendo, sangrando e não fez nada para conter o agressor. Viu a mulher passando por tudo aquilo e não fez nada para impedir”, contou a delegada.

Conforme Amin Oliveira, a polícia indicou ao pai do suspeito que o filho deveria comparecer à Polícia Civil para prestar depoimento. Nesta segunda-feira, o homem foi até a Deam, onde foi ouvido, e em seguida foi cumprido o mandado de prisão preventiva.

Como denunciar violência contra a mulher

Denúncias de estupros, tentativas de feminicídios, feminicídios e outros tipos de violência contra a mulher podem ser feitas por meio de três telefones:

  • 197 (Disque Denúncia da Polícia Civil)
  • 180 (Central de Atendimento à Mulher)
  • 190 (Disque Denúncia da Polícia Militar – em casos de emergência)

Além disso, na Paraíba o aplicativo SOS Mulher PB está disponível para celulares com sistemas operacionais Android e IOS e tem diversos recursos, como a denúncia via telefone pelo 180, por formulário e e-mail.

As informações são enviadas diretamente para o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, que fica encarregado de providenciar as investigações.

Acompanhe as notícias do POVOPB pelas redes sociais: Instagram e Twitter.

Verified by ExactMetrics